quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Aviso aos navegantes.


Bom ,para fechar o ano e lavar a alma com um ato de ” grandeza” amplitude, estatura, imensidade, luxo, magnitude, citarei então o nome do ansioso , irrequieto, e ex companheiro de Conseg (Conselho de Segurança de Antonina, já extinto) , participativo e atuante blogueiro  antoninense, que vive a rasgar elogios sobre a minha pessoa em seu blog ,e com toda humildade do mundo posso dizer desde já que agradeço-os mas não os mereço. Mesmo assim fico aqui a desejar um Feliz 2011 à todos que visitam este blog e à todos  os companheiros da Blogsfera antoninense, Reginaldo, Bó, Neuton, Luiz, Marga, Rosil, Márcio, Jaime, Denilson, e a ele o Petroleiro aposentado, o petista no exílio, usuário dos óculos de pangloss, da gloriosa pomada belladona, da emulsão scott e das pílulas do dr. ross, Paulo Roberto Cequinel .
                                                           Um abraço e um feliz 2011.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O egocêntrico.


Egocentrismo é a característica que define personalidades que consideram que tudo gira ao seu redor.

Invariavelmente esse Indivíduo só anda acompanhado pelo seu melhor amigo, o seu ego . Ele acredita que tudo deve caminhar a seu favor, por achar que é o único a merecer atenção, não tem o mínimo de preocupação com o direito de opinião do próximo. Para esse tipo  de indivíduo não basta discordar, ele tem que discordar e “na marra” tentar fazer que as pessoas pensem como ele, objetivo que ele nunca consegue alcançar. Quando ignorado fica sujeito a crises de hemorróidas que só vem a melhorar após ouvir aquela musiquinha Lula “Láahhhh!”. 

A impossibilidade de trabalhar em grupo e principalmente com pessoas que divergem do seu ponto de vista, é a característica marcante desse indivíduo. É muito conhecido na cidade onde reside como o “espalha patota” “ou boca de burro” quando ele chega não fica um para trocar umas idéias. Mesmo assim “por educação” todos fingem que gostam dele. 

A frustração e a incapacidade do mesmo em mudar velhos hábitos e atitudes  reflete o seu grau de flexibilidade o que indica debilidade no seu nível de saúde mental. Quanto mais inflexível for, maior será o tempo de reação a situações novas, criando profundos transtornos para este e aos poucos que o rodeiam. Com a chegada da idade a situação só tende a piorar. Alguns especialistas denominam esse tipo de comportamento como egocêntrismo ou a Síndrome do Alectura lathami que queria ser o Pavo Cristatus . Texto extraído (sem anestesia) do Livro Ciência e Comportamento escrito por Francisco Everardo Oliveira.

Governo Lula, 10 bilhões em propaganda .


A publicidade estatal apresentou crescimento de 1.522% no governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. De acordo com reportagem desta terça-feira do jornal Folha de S. Paulo, o número de veículos de comunicação que recebem verba de publicidade do governo federal saltou de 499 em 2003 para 8.094 em 2010.E não foi só a distribuição dessa publicidade entre emissoras de rádio, TV, jornais, revistas e “outros veículos” que aumentou – o número de cidades onde a propaganda do governo é transmitida passou de 182 em 2003 para 2.733 neste ano. Na categoria “outros” estão inclusos veículos como sites, blogs, carros de som, outdoors, painéis em aeroportos e inserções em cinemas.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Chuva de Verão.

O poder do Marketing.


João Santana o Mágico do Marketing.

Contratado eventual do PT, Santana também atuou como consultor de imagem de Lula nos últimos quatro anos. Jornalista de formação, o marqueteiro baiano foi o criador de algumas das marcas e siglas mais famosas do lulismo, como o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e o Minha Casa, Minha Vida (cujo nome inicial proposto pela burocracia do governo era o anódino "Casa para Todos").
P - Como era sua equipe na campanha?

R - Tive a felicidade de formar um "dream team". Cerca de 200 pessoas estiveram envolvidas. Alguns já trabalhavam comigo há muito anos como Eduardo Costa, meu braço direito e um dos grandes responsáveis pelo sucesso da campanha. Outros se reaproximaram e foram fundamentais como Marcelo Kértesz, Lô Politi e Giovani Lima, como diretores de vídeo. Sem falar da presença essencial de Mônica Moura, minha mulher e sócia.
 “Tínhamos a missão de fazer Dilma conhecida e ao mesmo tempo amada; uma personagem original, independente, de idéias próprias e, ao mesmo tempo, uma pessoa umbilicalmente ligada a Lula; uma pessoa capaz de continuar o governo Lula mas também capaz de inovar.

P - Os candidatos, no segundo turno, deram respostas eficientes a esses recados dos eleitores?

R - Nenhuma campanha (ou governo) em nenhum lugar do mundo, responde a todas as perguntas, preenche todas dúvidas, nem atenua, completamente, os conflitos racionais e emocionais dos eleitores. Uma campanha (ou governo) “será sempre” um copo com água pela metade, meio vazio pra alguns, e meio cheio pra outros.
Folha - O sr. fez o marketing das duas últimas campanhas presidenciais vitoriosas no Brasil. Quais as diferenças e semelhanças?
João Santana - Foram campanhas profundamente dessemelhantes.
Entre os vários pontos de dessemelhança, eu gostaria de frisar apenas um, e que diz respeito diretamente à minha área: apesar das aparências, a campanha de 2010 foi de uma complexidade estratégica, e principalmente tática, imensamente maior do que a de 2006. Eu diria, até, que do ponto de vista do marketing, esta talvez tenha sido a campanha presidencial mais complexa dos últimos tempos no Brasil. Fonte -Folha.com

Por Tutuca,

Esses são trechos de uma entrevista com João Santana, profissional responsável pelo marketing da campanha da candidata eleita Dilma em 2010 e da campanha de Lula em 2006 e assessor permanente  do presidente .

É bom lembrar que o trabalho desses profissionais está muito valorizado hoje no mercado nacional e internacional chegando a custar  alguns milhões de reais aos seus contratantes. Só para se ter uma idéia  o também marqueteiro Duda Mendonça,   responsável pela campanha vitoriosa de Lula em 2002 e envolvido direto no escândalo do mensalão, pediu ao então candidato ao governo do estado de Minas Gerais ,agora em  2010,Hélio Costa, nada menos que 15 milhões de reais pelos seus serviços só para o primeiro turno das eleições caso houvesse segundo turno no estado, outro contrato teria que ser discutido (fonte - Voto Consciente).

Quanto custaria então uma campanha presidencial ou um assessoramento permanente desses profissionais? Uns 20,30,40 milhões por turno ou ano ? Esse luxo é claro, só pode ser praticado por candidatos e governos que tenham muita “bala na agulha”. 
Portanto não se enganem ,tudo o que vemos e ouvimos sobre esse ou aquele candidato ou governante, independente de questão partidária, tem que passar pelo crivo  desses  profissionais, que tem como função monitorar e decidir cada passo, cada gesto,cada palavra a ser dita por esse candidato ou governante. 

No caso da candidata Dilma e do presidente Lula , um exército  de 200 pessoas prestavam  e prestam esse serviço. Seriam então esses políticos  poderosos resultado de uma mentira ?de uma imagem fabricada ? seriam eles produtos   do marketing ?? Eu penso que não, nos casos específicos da presidenta eleita Dilma e do presidente Lula, é óbvio que cada um deles possui os seus pontos positivos e negativos  como qualquer ser humano, eles são um copo de água pela metade. 

Fica fácil notar também que esses marqueteiros tem como missão fazer principalmente do presidente Lula um Deus acima do bem e do mal o que ele obviamente não o é. 
Alguns exemplos das “jogadas” de marketing desses  profissionais em questão são;  a estória  da aprovação popular do presidente de 83% e do jargão “nunca antes na história desse País” .

Devemos tirar o chapéu para esses competentes e caros profissionais, diga-se de passagem, que conseguiram transformar ,nesse caso,  Dilma e Lula, de simples copos de água pela metade no mundo real, em copos meio cheios para alguns em um mundo virtual. 
É o poder do Marketing, segundo João Santana.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

VEREADOR HÉLIO COMEMORA FESTA DE NATAL COM PESCADORES

NO DIA 22 DE DEZEMBRO DE 2010 ÀS 16:00 Hs, A COLÔNIA DE PESCADORES Z-8 DE ANTONINA ESTEVA EM CLIMA DE ALEGRIA, QUANDO SE REUNIU PARA CELEBRAR COM AS FAMILIAS DE PESCADORES A FESTA DE NATAL. NA OPORTUNIDADE FORAM DISTRIBUÍDOS APROXIMADAMENTE 500 BRINQUEDOS E CAMISETAS AOS FILHOS DOS PESCADORES. O PRESIDENTE DA COLÔNIA, SR. ADMIR COSTA FREIRE, AVALIOU COMO POSITIVO O EVENTO, QUE CONTOU COM O PATROCÍNIO DO ESCRITÓRIO BAHR, NEVES E MELLO ADVOGADOS ASSOCIADOS, QUE ESTIVERAM REPRESENTADOS NO EVENTO PELOS DRS. HEROLDES BAHR, NETO E SAULO BONAT  DE MELLO  E   O APOIO DO VEREADOR HÉLIO DE FREITAS CASTRO  QUE DESEJOU À TODOS OS PESCADORES PRESENTES UM FELIZ NATAL E UM ANO NOVO CHEIO DE REALIZAÇÕES.

Vandalismo premeditado.

Menos de uma semana depois de ser colocada a primeira unidade das caixas coletoras do projeto do Vereador Hélio denominado Lixo da Gente, já tivemos a ação de vândalos que conseguiram destruir o sistema de suporte da tampa da caixa. Apesar do sistema ter sido elaborado com material resistente a ação deliberada dos vândalos atingiu o seu objetivo. O estranho nessa situação é que a ação parece ter sido premeditada pois foram usadas ferramentas como martelo e um pé de cabra. Geralmente as ações de vandalismo acontecem na madrugada quando alguns indivíduos alcoolizados saem das baladas e vão destruindo tudo o que vêem pela frente. Mas no caso quem levaria para a balada martelo e pé de cabra?  

sábado, 25 de dezembro de 2010

Balas de Banana .Produto Made in Antonina.


Tão famosos quanto o casario colonial e o carnaval, os doces de Antonina feitos com banana ganharam versões que misturam frutas e especiarias à receita original
Matinhos - As tradicionais balas de banana vão virar o ano de cara e sabores novos. O ingrediente consagrado ganhou a companhia de outras frutas e especiarias, como goiaba, canela, limão, gengibre e até pimenta. O responsável pela invenção é o empresário Silas Dias, que junto da esposa, Maristela Mendes, é proprietário da Indústria e Comércio de Conserva Floresta.
A especialidade da dupla, não era de se duvidar, sempre foram as balas, que em Antonina são servidas aos punhados por todos os cantos. Silas gosta de repetir com entusiasmo a quem aparece na loja a frase que pretende colocar em uma placa: “Em Antonina você é recebido à bala... de banana”.
E foi assim – só com banana pura e açúcar – que se passaram 21 anos. Até o dia em que o empresário resolveu dar uma pitada de renovação à tradição. Segundo ele, a opção de inovar em cima de um produto de tão boa aceitação parecia a melhor forma de se destacar no já estabelecido comércio do produto na cidade.
“O primeiro sabor que tentamos foi gengibre, depois foi o de amendoim, na sequência o de canela e o de chocolate”, conta Dias, que, além de entusiasta e patrocinador da nova empreitada, foi “cobaia” de suas novas criações. “Eu preparava e provava várias vezes até atingir o resultado esperado. A de chocolate, por exemplo, foi bem difícil achar o ponto ideal”, revela. Ele confessa que já chegou a testar uma receita de bala de pinhão, sem muito sucesso – até agora.
De tanto planejar, pôr a mão na massa e provar as receitas, o cardápio de balas de banana aumentou. Entre erros e acertos, hoje há 14 sabores disponíveis: açaí, maracujá, mel, castanha, goiaba, canela, gengibre, abacaxi, limão, amendoim, chocolate e pimenta. Para completar a lista foram criados recentemente o de panetone e mexicano, feito com pimenta e ervas típicas.
Aprovadas pelo paladar do criador, faltava às balas caírem no gosto do público. E não deu outra. A ideia dos novos sabores fez tanto sucesso que eles estão sendo mais procurados pelos consumidores do que as originais, só de banana, também produzidas na indústria. De acordo com Dias, um 15.º elemento está para entrar no conjunto: a bala de caju. Agora, os segredos da produção, esses ele não revela nem sob tortura. “Nem a minha esposa conhece os meus planos e as minhas receitas. Eu faço, eu provo e aprovo. É tudo segredo de Estado”, brinca o empresário.
Costumes
Por mais que ao longo os três últimos anos muita coisa tenha mudado, as balas – fisicamente – são as mesmas: pequenos retângulos com cor de caramelo, cobertos por açúcar e embalados em papel alaranjado. A única diferença está na identificação escrita no pacote externo, que vem com 500 g de balas de cada um dos sabores. “É preciso ter muita atenção para não misturar os produtos”, diz a funcionária da indústria Benedita Vieira da Costa, de 64 anos, que trabalha lá desde as primeiras paneladas de bala de banana. Mesmo depois de 24 anos de trabalho diário no embalo das pequenas balas açucaradas, continuam sendo elas sua sobremesa preferida. E Benedita avisa que a melhor das invenções de Dias é a bala de banana versão maracujá. “A mistura é perfeita.”
Produto artesanal ganha mercado
Tradição é tradição e, por isso mesmo, a receita original das balas de banana continua sendo produzida na fábrica. Aliás, tirando os ingredientes secretos que compõem as novas modalidades, tudo continua do mesmo jeito por lá. O jeito de fazer balas ainda é artesanal. Os oito funcionários que trabalham com o empresário Silas Dias, da Indústria e Comércio de Conserva Floresta, são auxiliados por duas máquinas, que fazem o retalho de doce do formato certo e o empacotamento de 120 balas por minuto. O espaço utilizado para isso é pequeno e fica às margens da rodovia que dá acesso a Antonina.
Além das balas “multissabores”, por lá são preparados doces de banana, farinha de banana e bananinha. A cada mês saem da fábrica dez toneladas desses produtos. “É uma produção artesanal, mas supre as nossas necessidades. Em caso de pedido grande, a gente dobra o turno”, diz Maristela, sócia do negócio. Metade da matéria-prima vem da própria região litorânea e cerca de 30% da produção é vendida para o atacado. O restante se destina aos clientes assíduos que saem de lá com o estoque de balas renovado. Aos interessados, o pacote com meio quilo do doce sai por R$ 4,90. No mais, conservas e sorvetes disputam o espaço nas prateleiras.
Segundo Maristela, as balas têm espalhado sua fama por outras localidades. Isso graças aos turistas que visitam Antonina, provam dos sabores tradicionais às novidades e acabam carregam encomendas para fora do município. “Parte da nossa produção é comercializada em Curitiba e nos estados de Minas Gerais e Santa Catarina”, diz ela. Pelo jeito há muitas outras cidades recebendo pessoas à bala...
                                                                              Fonte Gazeta do Povo.