quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Garoto propaganda

Sem comentários...



video

2 comentários:

  1. O Osmar Dias gravou esse vídeo na campanha vitoriosa do Beto Richa para prefeito de Curitiba, quando uma coligação em que jto estava o PDT apoiava o Beto para prefeito. Mas é da natureza humana o erro, pois se o Osmar tivesse bola de cristal saberia que o Beto foi sacana e abandonou a prefeitura municipal de Curitiba um ano e meio depois, então não teria gravado este vídeo.

    Agora quanto a declaração sobre o pai do Beto, o Sr. Jose Richa essa declaração do Osmar continua valendo. Quanto a honestidade do filho do José Richa isto são outros "quinhento$$$$$$$" o futuro dos após este vídeo ficou demosntrado como eu escrevo abaixo:

    Ti-ti-ti tão falado em Curitiba quanto o episódio dos diários avulsos secretos da Assembleia Legislativa do Paraná, dá conta de que um dos filhos do prefeito Beto Richa, o Marcellinho, não colou grau junto com sua turma da faculdade de Direito porque foi pego pelo professor com a mão na massa. Ele teria copiado da internet uma monografia de universidade da Bahia e a malandragem foi facilmente detectada pelo seu professor da Universidade Positivo, antigo Unicenp. Resultado: não se formou junto com a turma, cujo nome prestava homenagem ao avô do menino e pai do prefeito, o ex-governador José Richa. Teve de bater em retirada depois mesmo de já estarem circulando os convites de formatura confeccionados e que trazem o nome do piá. Para aumentar a vergonha, o prefeito teve de prestigiar a colação de grau dos outros estudantes, os que passaram sem plagiar trabalho de conclusão de curso. Os comentários que circulam na city são de que, agora, a família ilustre processa a universidade pelo ocorrido, quando deveria conferir cidadania honorária ao corajoso e eficiente professor.
    O garoto já ensaia entrar pra política, pois é representante da juventude do PSDB de Curitiba e vem se dedicando à campanha do pai ao governo do estado no ninho tucano paranaense. Demonizar o Marcellinho não é o ponto crucial. O fato é que esse episódio ilustra um pouco do que acontece com a renovação pela via genética dos quadros políticos nas nossas instâncias de poder. Por sorte, a exposição do seu ‘modus operandi’ para a vida pública vem de certa forma cortar as asas do tucaninho e inaugurar seu currículo político com uma reprovação. Assim, é possível perceber também o porquê de o pai, em intensa campanha pelo interior para se eleger governador dos paranaenses, e que propagandeia com orgulho o status de ser engenheiro, faz uma péssima administração na cidade de Curitiba em seu segundo mandato, relegado ao comando do vice, o “socialista insosso” Luciano Ducci.

    ResponderExcluir
  2. SEM COMENTARIO$$$$$$$!!!!

    • Iniciais intrigantes – Foram identificados repasses irregulares para o ex-governador do Paraná José Richa. Fundador do PSDB, Richa era amigo pessoal do ex-governador de São Paulo Mário Covas. Os peritos também ficaram intrigados com remessas para várias contas em Luxemburgo e Ilhas Cayman com as iniciais “J.S.” e “R.J.S.”. As transferências repetiam a rota das demais operações. Depois de transitar por vários bancos e laranjas no Brasil, o dinheiro era depositado em contas da agência do Banestado em Nova York tituladas por empresas de propriedade de doleiros brasileiros. Do Banestado, o dinheiro seguia para outras empresas em paraísos fiscais.

    Fonte: http://www.istoe.com.br/reportagens/26206_OPERACAO+MALUCO?pathImagens=&path=&actualArea=internalPage

    ResponderExcluir