segunda-feira, 27 de junho de 2016

EM TEMPOS DE ELEIÇÃO...PÕE NA CONTA DO ABREU, SE ELE NÃO CONCLUIU, NEM EU...


Nos últimos vinte anos...

Em ano de eleição é muito importante trazer à lembrança os ex gestores que receberam na integra recursos, iniciaram as obras e não as entregaram para o usufruto da coletividade.
A pratica se repetiu em todas essas gestões.
Quando falamos de ex prefeitos e ex prefeita, aqueles que realmente tiveram o comando sobre o "conjunto administrativo" da Prefeitura, podemos  incluir todos no rol de gestores que iniciaram obras e não as concluíram, ou iniciaram obras que nunca funcionaram.
Munira Peluso, Kleber, Canduca, João Domero no que se refere a sua co-gestão na obra da Transpetro.

Rede Coletora de Esgoto, a quadra do Batel, (gestão Munira Peluso) Ginásio de Esportes e quiosque da Feira Mar (gestão Kleber Fonseca) a Casa da Cultura, a obra da Transpetro, a Casa da Marisqueira (gestões Joâo Domero / Canduca).

Evidentemente que essa situação cria um jogo de empurra empurra, onde ao seu final nenhum dos ex prefeitos e ex prefeita, alegará ter responsabilidades sobre o cenário de obras "inúteis" que o antoninense vive a contemplar.
Um põe a culpa no outro, e o outro põe a culpa no um...
A situação nos lembra aquela estória da conta no boteco...Põe  na conta do Abreu se ele não pagar nem eu...
No frigir dos ovos quem realmente "já pagou" a conta foi você, fomos nós, e para que um dia essas obras venham realmente a funcionar, lembre-se, teremos que pagar "outra vez".

terça-feira, 14 de junho de 2016

O TAC SUMIU, NINGUÉM SABE, NINGUÉM VIU!

Atualizado.
Terminando de ler a documentação enviada pela Câmara cujo  tema é a multa milionária que a Prefeitura de Antonina  (gestão Munira Peluso)  aplicou a Petrobrás em 2001, só nos restou uma certeza; O TAC Termo de Ajuste de Conduta, ou que seja, um termo de Protocolo de Intenções realizado à época entre Prefeitura e Petrobrás, não passou pelo crivo da principal instituição fiscalizadora  do Município , a Câmara Municipal.
A Câmara somente referendou Convênios através de decretos legislativos, e  o TAC que deveria dispor sobre a origem dos recursos convertidos em convênios (a multa), prazos de pagamentos e outras condicionantes, não apareceu naquela Casa de Leis.
Ao que parece o acordo entre as partes, Petrobrás e Prefeitura de Antonina, foi celebrado em uma mesa de boteco.
É sempre bom lembrar que estamos falando da anunciada multa milionária que a “Prefeitura de Antonina” aplicou a Petrobrás, e não da multa que o Ministério Público Federal também aplicou a esta empresa.

Outra clara tentativa de confundir a população é alegar que os recursos da Obra da Transpetro, são originários dessa questão do acidente ambiental. Não são.
Segundo a matéria cuja fonte é a Agência Estadual de Notícias, os recursos da obra da Transpetro  são originários  de um contrato de cooperação assinado em 2006, entre APPA e TranspetroS/A. http://www.guiasjp.com/noticias/cidadania/porto+de+paranagua+e+transpetro+assinam+contrato+de+r+1+milhoes/15157
Portanto se torna inegável a existência de um “vácuo” entre os valores anunciados da multa (50 milhões em 2001) e o que foi registrado, os recursos convertidos em convênios (2 milhões aproximadamente).
Somente 4% do valor anunciado foi repassado ao Município?

De qualquer maneira continuaremos disponibilizando este blog para que toda e qualquer informação sobre esse e outros temas , sejam aqui publicadas.
Para quem estiver com problemas de comunicação com o blog , deixo disponibilizado o email celsoluissantos@gmail.com.

Um abraço e fiquem na paz.

quarta-feira, 8 de junho de 2016

MEUS AGRADECIMENTOS.

Primeiramente quero agradecer ao leitores do Blog  pelas mais de 600 visitas na oportunidade da postagem da matéria “ANTONINA ELEIÇÕES 2016 - PRÉ CANDIDATOS 1”.
Outro satisfação da nossa parte foi o Blog ter ultrapassado desde a sua criação (meados de 2010) a marca de mais de 460 mil visitas.

Quero agradecer também à Câmara Municipal , representada pela figura do seu Presidente Odileno Garcia Toledo, pelo envio de documentação referente ao Pedido de Informação solicitado àquela Casa de Leis.



terça-feira, 7 de junho de 2016

ANTONINA, ELEIÇÕES 2016 - PRÉ CANDIDATOS 2

É importante lembrar que todas as candidaturas, tanto a  Prefeito como  a Vice, serão oficializadas somente após as convenções partidárias que iniciarão a partir de 20 de julho e se encerrarão na data de 5 de agosto de 2016.                                                                                                                                                     
                                                                                                 
Carlos Augusto Machado

Mandato eletivo – Foi vereador  no período de 1989 a 1992. Foi Prefeito no período de 2009 a 2012.
Nas eleições de 2016 estará também representando a classe de ex gestores municipais.

Em 2008 concorreu pelo PPS e este ano concorrerá pelo PDT.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                      
  
                                                                                           


João Domero

Mandato eletivo – É o atual Prefeito de Antonina.

Concorrerá ao pleito de 2016 pelo PSC.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                              
     


Luis  Amilton  ( Pirulito )

Mandato eletivo – Foi vereador no período de 2001 a 2004.
Luis Amilton sairá candidato pelo PV.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  
                                                                                                                                                                                                

Fabiano  Ramos -

Mandato eletivo – Nunca teve mandato eletivo.

Fabiano virá candidato pelo  *PTB.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                   



Valéria Fernandes 



Mandato eletivo. Nunca teve mandato eletivo.

Valéria Fernandes virá candidata pelo  *PTB








*O cenário mostra que teremos uma disputa interna dentro do PTB, onde Valéria Fernandes e Fabiano Ramos,  disputarão nas convenções de julho, quem irá representar o partido no pleito majoritário de 2016.  
O fato curioso é que segundo consulta realizada no TSE na data de hoje (07/06/2016), nenhum dos dois pré candidatos fazem parte da executiva do partido, o que configura que estarão sujeitos a decisões onde não terão direito ao voto.  

Um abraço a todos e fiquem na paz .                                     

quarta-feira, 1 de junho de 2016

ANTONINA ELEIÇÕES 2016 - PRÉ CANDIDATOS 1

Em breve estaremos disponibilizando outros eventuais pré candidatos à  Prefeitura de Antonina, e candidato à reeleição. 
É importante lembrar que todas as candidaturas, tanto a  Prefeito como  a Vice, serão oficializadas somente após as convenções partidárias que iniciarão a partir de 20 de julho e se encerrarão na data de 5 de agosto de 2016.



José Paulo Vieira Azim 
Mandato Eletivo - José Paulo Vieira Azim nunca teve mandato eletivo. 

José  Paulo, foi Secretário de Saúde  no período de 01 de Janeiro de 2009, a 30 de Março de 2012.

Nas eleições ao cargo majoritário de 2012, Zé Paulo teve a sua primeira participação onde contabilizou 3.350 votos (26,84%) dos votos válidos.


Em 2012, Zé Paulo concorreu pelo PMDB, e esse ano concorrerá pelo PSB.    

                                                         

Munira Peluso 
Mandato Eletivo - Munira Peluso teve seu primeiro mandato eletivo como vice - Prefeita na gestão de Leopoldino de Abreu Neto (1989 a 1992)

Em 1996 Munira Peluso, concorreu ao pleito majoritário e se elegeu Prefeita .  
Foi reeleita nas eleições de 2000, onde governou  até 31 de dezembro de 2004.

Nas eleições de 2016 Munira Peluso vai representar a classe dos ex- gestores do Município de Antonina.  
Como ex gestora já  foi reprovada  por duas oportunidades pelas urnas (2008 e 2012) .

Em 2008, Munira Peluso concorreu pelo PDT, em 2012 concorreu pelo PSDB, e este ano concorrerá pelo PPS.



Henrique Scarante 

Mandato eletivo – Henrique Scarante, nunca teve mandato eletivo.

Henrique Scarante,  foi Chefe de Gabinete do atual Prefeito durante 8 meses (01/05/2013 a 01/01/2014)

Henrique Scarante, concorrerá ao cargo majoritário pelo PMN.






Jefferson Oliveira Fonseca
Mandato eletivo – Jeferson Oliveira Fonseca, já foi Vereador por duas legislaturas; de 2005 a 2008, e 2009 a 2012.

Nas eleições de 2012, Jefferson  Oliveira Fonseca concorreu ao cargo majoritário e contabilizou 9,87% dos votos  (1.232 votos).



Jefferson Oliveira Fonseca, (DEM) é comissionado do Governo do Estado onde responde pelo cargo de Coordenador de assuntos para o Litoral.

domingo, 22 de maio de 2016

CEPATUR NO THEATRO MUNICIPAL. FAZER A LIÇÃO DE CASA É O PRIMEIRO PASSO...


Já que o assunto principal foi o turismo...
Não é novidade pra ninguém que o deputado Nelson Justus e o Coordenador para assuntos do litoral Jeferson Fonseca, estão “super alinhados” com a gestão João Domero.
Se for para trazer coisas boas para a nossa cidade vamos sempre torcer e aplaudir.
O problema é que fica difícil levar a sério essas “teatrais ações” (período pré eleitoral) quando lembramos que ao final do ano, em plena alta temporada, a cidade de Antonina foi cortada da OPERAÇÃO VERÃO, por pura falta de ação desse mesmo grupo político.
Não tenho lembrança ter visto a nossa cidade tão abandonada em um período do ano que a cidade recebe tantos turistas. Lixo, mato e a dengue tomando conta nossa cidade.
Prefeitura de Antonina, CEPATUR (Conselho Paranaense de Turismo) e os políticos alinhados...Se o assunto é falar em Turismo seria interessante "começar pelo começo", nesse caso fazer a lição de casa é imperativo.
O Presidente da SANEPAR também esteve nessa reunião, mas essa já é outra história.

terça-feira, 10 de maio de 2016

PROFESSORES MUNICIPAIS VOLTAM ÀS SALAS DE AULA.

Os professores da rede municipal de ensino decidiram em assembléia, voltar às salas de aula.
Acredito ter sido nesse momento a decisão mais sensata haja visto que a questão Professores x Prefeitura, tomou o rumo da judicialização.  
Os professores iniciarão as atividades,contudo permanecerão em estado de greve, o que significa que a qualquer momento a greve poderá ser restaurada.

terça-feira, 3 de maio de 2016

EX GESTORES E SUAS DIGITAIS, OU; UM RASTRO DE OBRAS INACABADAS.

O primeiro passo foi dado no sentido de apurar os ex gestores que, por incompetência ou má fé, deixaram um rastro de OBRAS INACABADAS na cidade. 
Outras Obras deverão ser vistoriadas em breve e acredito que essa ação do Ministério Público, além  responsabilizar esses ex gestores, inibirá quaisquer futura ação nesse sentido.
É no que acreditamos.
Um abraço e fiquem na paz.

segunda-feira, 2 de maio de 2016

OBRAS INACABADAS. EQUIPE DE ENGENHARIA DO MP/PR, INICIA VISTORIA EM ANTONINA.

Uma equipe de engenheiros do Ministério Público do Paraná, inicia vistoria em Obras inacabadas em nossa cidade.
Esse é primeiro passo para que outras frentes também sejam avaliadas e os gestores responsáveis pelos "elefantes brancos" sejam apontados. 
É muita OBRA INACABADA para uma cidade como a nossa.
Uma boa semana a todos.

quarta-feira, 27 de abril de 2016

EX PREFEITOS,CONTAS A SEREM JULGADAS, CONTAS REPROVADAS, OU: QUANDO O TEMPO É O MAIOR ALIADO.

Jornal dos Bairros /Edição 406

A Câmara de vereadores de Antonina, seguindo a determinação do TCE/PR - Tribunal de Contas do Estado do Paraná, vem buscando zerar os processos de prestação de contas  (ex prefeitos/prefeita) existentes na Casa.http://www1.tce.pr.gov.br/noticias/camaras-que-nao-julgam-prefeitos-podem-ter-contas-desaprovadas/3982/N

Segundo um levantamento prévio, as contas dos ex prefeitos e ex prefeita, de 2001, 2004, 2005, 2006, 2007,  2008, 2009, 2010, 2011, 2012, estão na fila para serem levadas ao plenário da Casa. Algumas inclusive, com o parecer de desaprovação do TCE.

Como ressalta a matéria, algumas contas a serem julgadas sumiram daquela Casa de Leis.
A situação é realmente muito grave.
Para melhores esclarecimentos disponibilizo o Blog para que as instituições envolvidas possam se posicionar sobre essa situação já que em casos de contas não julgadas ou extraviadas, alguém pode estar se beneficiando com esse expediente.
É bom lembrar que nesses casos o tempo está sempre “a favor” de gestores que eventualmente deixaram de cumprir as suas responsabilidades.
Um abraço, e fiquem na paz.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

DILMA DE SAÍDA, OU, INFORMAÇÃO É SEMPRE IMPORTANTE.

Textos, fotos, artes e vídeos da odiario.com estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização de odiario.com. As regras têm como objetivo proteger o investimento que odiario.com faz na qualidade de seu jornalismo. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://maringa.odiario.com/parana/2016/04/veja-como-votaram-os-deputados-do-parana-no-impeachment/2132403/

A maioria dos deputados federais do Paraná votou neste domingo (17) pelo prosseguimento do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). 
Da bancada de 30 deputados, foram 26 votos pela continuidade do processo, e quatro contrários.
 http://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2016/04/veja-os-votos-dos-deputados-do-parana-no-processo-de-impeachment.html


A favor do impeachment:
Alex Canziani (PTB)
Alfredo Kaefer (PSL)
Christiane Yared (PR)
Diego Garcia (PHS)
Dilceu Sperafico (PP)
Evandro Roman (PSD)
Fernando Francischini (SD)
Giacobo (PR)
Hermes Parcianello (PMDB)
João Arruda (PMDB)
Leandre (PV)
Leopoldo Meyer (PSB)
Luciano Ducci (PSB)
Luiz Carlos Hauly (PSDB)
Luiz Nishimori (PR)
Marcelo Belinati (PP)
Nelson Meurer (PP)
Nelson Padovani (PSDB)
Osmar Serraglio (PMDB)
Paulo Martins (PSDB)
Ricardo Barros (PP)
Rubens Bueno (PPS)
Sandro Alex (PSD)
Sergio Souza (PMDB)
Takayama (PSC)
Toninho Wandscheer (PROS)
Contra o impeachment:
Aliel Machado (Rede)
Assis do Couto (PDT)
Enio Verri (PT)
Zeca Dirceu (PT)
Por Tutuca...
Como já era esperado, o pedido de admissibilidade pelo impeachment da Presidenta Dilma, passou fácil na Câmara dos deputados.  Nem com o esforço concentrado do seu articulador maior, Lula, o pessoal da "Democracia Vermelha" conseguiu a adesão de 172 deputados. 
Ao final apenas 146, somando as abstenções, foram contra o impeachment.
Como no  Senado o pedido de admissibilidade se dará por maioria simples, tudo indica que os dias de Dilma como Presidenta da República, estão chegando ao seu final. 
Algumas curiosidades aconteceram nessa votação de domingo; Deputados do Paraná, reconhecidamente da base aliada, votaram a favor da saída de Dilma, inclusive o Deputado Toninho Wandscheer, que se elegeu para o cargo ainda no Partido dos Trabalhadores. Ricardo Barros, Cristiane Yared, e João Arruda (sobrinho do Requião), também sentiram que "a viola está em cacos".
O pior de tudo é que não se enxerga por parte do Partido dos Trabalhadores, uma tentativa de se reciclar e aprender com os acontecimentos. Teimam em não descer do salto e continuam com o discurso totalitário e fanatizado. 
Pedido de informação para a CMA.
Seguindo a linha da matéria publicada aqui no blog sobre multas ambientais e o direito da transparência, resolvi entrar com o pedido de informação sobre essa questão, haja visto que ,até a publicação desse post  nenhuma informação nos foi enviada sobre a multa milionária que o Município de Antonina (gestão Munira Peluso) aplicou à Petrobrás por conta do acidente ambiental de 2001. 
Fui muito bem recebido pelo presidente da Câmara Municipal , Odileno Garcia Toledo, que se prontificou em nos disponibilizar toda e quaisquer documentação existente sobre o referido tema . Aguardemos.
Um abraço a todos , e fiquem na paz.

terça-feira, 12 de abril de 2016

ESCOLA SEM PARTIDO. DIGA NÃO A DOUTRINAÇÃO NAS ESCOLAS.

Numa sociedade livre, as escolas deveriam funcionar como centros de produção e difusão do conhecimento, abertos às mais diversas perspectivas de investigação e capazes, por isso, de refletir, com neutralidade e equilíbrio, os infinitos matizes da realidade.
No Brasil, entretanto, a despeito da mais ampla liberdade, boa parte das escolas, tanto públicas, como particulares, lamentavelmente já não cumpre esse papel. Vítimas do assédio de grupos e correntes políticas e ideológicas com pretensões claramente hegemônicas, essas escolas se transformaram em meras caixas de ressonância das doutrinas e das agendas desses grupos e dessas correntes.
A imensa maioria dos educadores e das autoridades, quando não promove ou apoia a doutrinação, ignora culposamente o problema ou se recusa a admiti-lo, por cumplicidade, conveniência ou covardia.   http://www.escolasempartido.org

terça-feira, 29 de março de 2016

OBRAS INACABADAS. ANTONINA TEM...

Atualizado.
As fotos (2011) são da quadra poliesportiva do Batel.

Em Setembro de 2002, (gestão Munira Peluso) foi sanciona a Lei 16/02,
cujo teor se tratava de modificações no plano plurianual do município.
Entre outras propostas de investimento a lei previa a construção de quadras poliesportivas nas áreas de recreação das escolas municipais.
Puxando pela memória não fica difícil lembrar que ao final do mandato da então gestora, o que vimos no que se refere a quadra poliesportiva da Escola João Paolino, foi apenas um "arremedo" de quadra poliesportiva. Uma gambiarra.
Ali se começou aquela estória de iniciar obra para que outro gestor termine. 
Ali nascia mais uma OBRA INACABADA na cidade de Antonina.
É bom lembrar que os recursos provavelmente tinham como origem a Secretaria de Educação. 

Com o passar do tempo outros Prefeitos foram, descompromissadamente, levantando o “monstrengo”. 
Meias paredes, iluminação, tudo executado, provavelmente, sem um projeto específico. Uma obra sem pé nem cabeça, uma grande e caríssima “gambiarra”.

Nos dias de hoje pouca coisa mudou. 
O espaço, segundo moradores, serve agora  de refúgio para drogados e afins.

O fato é que; a obra iniciada e "não  concluída" resulta nisso. 
A coletividade paga, e paga caro, mas pouco usufrui. 
                        


EXEMPLOS DE QUADRAS POLIESPORTIVAS CONCLUÍDAS E REALMENTE PRONTAS PARA O USO.

segunda-feira, 14 de março de 2016

É PRA FRENTE QUE SE ANDA. ELEIÇÕES 2016 - AS RUAS MANDARAM O RECADO.

Momento histórico...
Mais de 200 mil pessoas foram às ruas na capital do Paraná para, em um gesto de cidadania, mostrar o seu descontentamento com o modelo político que aí se apresenta.
Ao meio político fica a mensagem;  é preciso , modificar , modernizar , enfim, é preciso oxigenar a política e os cargos públicos.
Esse ano teremos eleições municipais e a tendência é essa...
...Não existe mais espaço para a velha política do assistencialismo, da falta de transparência, da irresponsabilidade e má gestão do dinheiro público.
Não existe mais espaço para a política dos coronéis, dos “donos” ou “donas” .
Não existe mais espaço para os que só lembram da cidade em época de eleição.
Não existe mais espaço para esses "dinossauros" que fazem da política um emprego, um “meio de vida”.

O recado foi dado. É pra frente que se anda. 
Um abraço e fiquem na paz.

terça-feira, 8 de março de 2016

O "VAI E VEM" DO SITE AMBIENTEBRASIL,OU; OPERAÇÃO VERÃO, TERMINOU O QUE NUNCA COMEÇOU...



Mesmo sem o necessário tempo para atualizar o blog...
Na semana passada a postagem sobre o sumiço do site ambientebrasil, atingiu a marca de quase 600 visitantes.
A título de informação vale lembrar que esse site depois da referida matéria, voltou ao ar da mesma maneira que havia sumido, de repente. Confira no link abaixo.
http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2001/03/22/1704-petrobras-multada-em-50-milhoes-de-reais-por-prefeitura.html
http://www.aen.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=87891&tit=Temporada-teve-905-salvamentos-40-mil-atendimentos-em-saude-

O Governo do Estado do Paraná  em meados de fevereiro realizou o encerramento e o balanço da Operação Verão 2015/2016.
Para Antonina infelizmente essa edição da operação verão vai ficar na história.
Logo quando a cidade mais precisava...
Uma ação de governo que acontece a mais de 20 anos em todas as cidades do litoral,  dessa vez, no que se refere a limpeza e principalmente coleta de lixo, simplesmente "não aconteceu". 
Ao que parece a farta distribuição de cargos do Governo para a cidade de Antonina, não se reverteu em benefícios reais para a nossa coletividade. 
O caos se instalou e a temporada foi simplesmente desastrosa. 
A situação é no mínimo surreal.  Temos um antoninense  no cargo  de "Coordenador de Assuntos do Litoral", mas na prática não se consegue sequer se manter uma ação rotineira de Governo. Coisas da política caiçara.

Um abraço e fiquem na paz.

terça-feira, 1 de março de 2016

O SUMIÇO DO SITE AMBIENTEBRASIL.

Muitas pessoas me questionaram na rua pela dificuldade na visualização do site (AmbienteBrasil) onde foi publicado a matéria sobre a multa que a Prefeitura Municipal de Antonina, aplicou à Petrobrás no ano de 2001. Estranhamente o site saiu do ar, contudo, para efeito de confirmação da matéria estou disponibilizando algumas "telas". 
Um abraço a todos, e fiquem na paz.
Esse é link do Google que acessava o site ambientebrasil
Essa é a tela de visualização do site em 20 de fevereiro de 2016.
Posteriormente essa foi a mensagem recebida quando se tentava acessar o site.
Após algumas tentativas conseguimos resgatar a matéria  em outro formato, que muitas vezes quando acessado mostra a imagem abaixo.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

MULTAS AMBIENTAIS, E O DIREITO DA TRANSPARÊNCIA.

Cadê o dinheiro da multa que tava aqui? O tac comeu! E cadê o Tac?

O dinheiro das multas, uma vez recolhido aos cofres públicos, se torna dinheiro público, logo, sujeito a todas as regras legais para sua utilização, como as da Lei Federal 8.666 além de serem fiscalizados pelos tribunais de contas.
Quando a multa não é paga, por que o infrator concordou em assinar termo de ajuste de conduta (TAC) este dinheiro continua na esfera privada, entretanto, não é um dinheiro qualquer, mas um dinheiro de interesse público, sua aplicação deveria ser transparente.
Não cabe, nos casos de TACs, aos infratores, reivindicarem para si o direito de sigilo industrial, já que o direito privado não pode ser superior ao direito público de ser informado sobre negociações que envolvem o bem público, que, por sua vez, não pertence nem aos governos nem aos estados nem aos ministérios públicos, logo, não pode ser negociado por eles sem a presença do público.
Muito menos, cabem aos administradores públicos, ainda que se considerem – e alguns até sejam – ambientalistas, pretenderem substituir a sociedade nessa negociação, pois o meio ambiente não pertence ao Estado, à União, à Prefeitura ou ao Ministério Público, para ser objeto de permuta e transações, mas pertence ao povo, um direito difuso, de todos, até mesmo dos que nem nasceram ainda. Assim, as negociações de TACs deveriam se dar num ambiente de transparência, no mínimo com uma audiência pública específica onde infratores, autoridades públicas e o público que sofreu os impactos, pudessem debater sobre as condicionantes em negociação. Hoje, não é isso que acontece. As negociações – e renegociações por descumprimentos, às vezes sucessivos, dos mesmos TACs – se dão entre quatro paredes, um perigo em tempos de financiamento privado de campanha. Não deveria ser considerado nem legítimo, muito menos legal, as sucessivas renegociações por descumprimentos de TAC, pois só se estimula novas transgressões, como se tudo acabasse e se resolvesse em TAC.
Estas condicionantes deveriam em sua maior parte serem direcionadas a reparar, compensar, mitigar os danos ambientais das áreas sacrificadas, e não irem reparar e compensar o meio ambiente em outros lugares em que o dinheiro dos impostos do contribuinte deveriam estar sendo empregados e não estão. E muito menos servirem para outros propósitos que não os exclusivamente ambientais, como realizar obras e empreendimentos que deveriam estar sendo realizadas com o dinheiro público.
Muito menos deveria ser incluído entre as medidas compensatórias obras e projetos inerentes à própria atividade do infrator, do seu interesse privado, que já estariam sendo realizadas de qualquer forma, pois está diante de uma condenação por um crime ambiental contra o meio ambiente de todos. Sem este cuidado, o infrator pode tentar fugir da condenação incluindo como compensatórios investimentos ambientais do seu interesse privado, e não exatamente do interesse público. E contar com o beneplácito da autoridade pública que poderia se beneficiar indicando executores para os projetos, e os próprios projetos. Isso sem falar nas enormes possibilidades de corrupção em tempos em que o financiamento de campanhas depende da boa vontade dos empresários.
A primeira condicionante de qualquer TAC teria de ser a comprovação do recolhimento dos 10% da multa para um fundo ambiental, pois a lei não permite a conversão em 100%, e os infratores acabam não pagando e fica por isso mesmo.
A segunda condicionante seria a obrigatoriedade de comprovar a publicação do inteiro teor do TAC numa mídia virtual, independente, de acesso gratuito, que seja referência para o segmento de público interessado nas informações ambientais.
E, na versão impressa dessa mídia, a informação sobre o TAC, suas principais condicionantes, prazos, custos, para distribuição gratuita e preferencialmente para os segmentos de público interessados nas questões ambientais nas áreas sacrificadas.
Como a opinião publica não é um todo homogêneo, mas divide-se em segmentos de interesse,
uma forma de não dar a adequada transparência a um ato público, é anunciar em mídias que atendem a outros segmentos de interesse, ou são tão difusas e generalistas que não alcançam mesmo os públicos de interesse por que não é seu propósito.
Na publicação impressa o público deveria ter acesso ainda aos telefones e endereços eletrônicos de contato dos responsáveis pela execução das condicionantes, dos técnicos no serviço público responsáveis por fiscalizar as condicionantes, e dos demais órgãos fiscalizadores no Legislativo, Executivo e Judiciário a quem o público pode recorrer no caso de denúncias. http://revista.rebia.org.br/2015/80/641-cade-o-dinheiro-da-multa-que-tava-aqui-o-tac-comeu-e-cade-o-tac
Por Tutuca...
No ano de 2001, vários sites ambientais publicaram que a Prefeitura Municipal de Antonina multou a Petrobrás em 50 milhões de reais por conta do acidente ambiental acontecido no poliduto localizado na Serra do Mar. http://noticias.ambientebrasil.com.br/clipping/2001/03/22/1704-petrobras-multada-em-50-milhoes-de-reais-por-prefeitura.html          http://www.ecopress.jex.com.br/eco+watch/petrobras+e+multada+em+r+50+milhoes+por+acidente+no+parana
Esses recursos (50 milhões de reais em 2001) em valores corregidos somariam  nos dias de hoje a bagatela de quase 200 milhões de reais.  
Não é novidade pra ninguém que naquela época o acesso a informação era um tanto quanto restrito, fazendo com que pouca publicidade fosse dada ao acordo realizado entre Prefeitura de Antonina e Petrobrás.
O município  recebeu algumas benfeitorias da Petrobrás, mas segundo consta, nada equivalente aos estratosféricos valores anunciados .  

Se alguém possuir a informação "documental" de quanto o município recebeu, e quanto foi repassado em benfeitorias, enfim, o teor desse acordo da Prefeitura de Antonina/Petrobrás, informo desde já  da disponibilidade deste blog para a publicação de tais documentos.
Enquanto isso iremos através das instituições envolvidas, e o apoio do MPF, buscar tais informações.